Andréa Ascenção conquista – novamente! – prêmio nacional de Jornalismo Literário

EDVALDO PEREIRA LIMA – PUBLICADO EM 07/09/2018

Andréa levou pela segunda vez Prêmio Clovis Barbosa, em Manaus (Foto: Arquivo pessoal)

Pós-graduada em Jornalismo Literário – e das mais brilhantes entre todos os participantes do Curso de Pós JL em seus 12 anos de existência –, Andréa Ascenção conquista – pela segunda vez! – esse importante prêmio nacional de JL.

Parabéns, Andréa!

 

Em suas próprias palavras:

 

“No início do ano escrevi uma reportagem sobre profissões que estão desaparecendo para a Revista Sentido, da também ex-aluna da Pós JL, Sibele Oliveira. Um dos personagens era um ex-domador de animais de circo. No final rendeu tanto que acabamos tirando esse personagem para equilibrar o texto. Como estava inédito, enviei para aquela premiação literária de Manaus. Ganhei o Prêmio Clovis Barbosa, destinado ao Melhor Texto de Jornalismo Literário deste ano!

Uma nova oportunidade de colocar em prática as lições que aprendi na Pós. Mais uma vez, muito obrigada, Mestre!

Era um dos personagens de uma reportagem sobre profissões que estão desaparecendo. Mas a história de um ex-domador de animais de circo descortinou um universo complexo. Se por um lado a profissão e o próprio circo estão longe das manchetes de hoje, por outro, a questão que mudou o rumo dessa tradição é pauta constante: até onde vai o direito dos animais? Acabei tecendo um emaranhado de conflitos que não cabiam mais no freela encomendado. Guardei-os. Dias depois abriram as inscrições para os Prêmios Literários da Cidade de Manaus. Inscrevi a reportagem ‘Efeitos Colaterais da Evolução’ na categoria nacional, destinada ao melhor texto de jornalismo literário.

Saiu o resultado! Pela segunda vez ganhei o Prêmio Clovis Barbosa. A primeira vez foi em 2014, pelo perfil ‘O homem da Segunda Chance‘, fruto do trabalho apresentado no primeiro semestre do Curso de Pós-Graduação em Jornalismo Literário, epl, sob orientação do Mestre Edvaldo Pereira Lima.

A reportagem premiada permanece inédita, como pré-requisito para concorrer ao prêmio. Por ser um texto de grande fôlego pode, facilmente, render um livro. Independente da formatação que encontre para ela, o reconhecimento da comissão julgadora do Conselho Municipal de Cultura da Cidade de Manaus é um grande incentivo para continuar a produção de Jornalismo Literário.”

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado.