O OPOSTO DE COMUNICAÇÃO CONSTRUTIVA: ALERTA VERMELHO NO NETFLIX

O conceito que batizei com o nome de Comunicação Construtiva tem o seu oposto, que é a comunicação de efeito destrutivo.  No primeiro caso, estamos falando de processos e práticas de comunicação que potencialmente contribuem para ampliar a capacidade de percepção e interpretação da realidade, por parte do receptor. No segundo caso, congelam e reduzem essa capacidade.

As duas situações estão relacionadas a um processo maior, que envelopa tudo isso, centrado na dinâmica de evolução da consciência da espécie humana. Somos todos impulsionados pelos mecanismos naturais da existência a ampliarmos a nossa percepção da realidade, a ressignificarmos essa realidade e a transformarmos nossa habilidade para agir no mundo, entendendo nossas vidas individuais como parte dessa expansão maior com a qual estamos interconectados.

 Neste mundo aparentemente caótico em que vivemos, porém, o processo dinâmico contrário, de tentativa de estagnação da evolução, também existe. São as crenças, visões de realidade e sistemas complexos instalados na sociedade que praticam a comunicação afunilando as consciências em direção a um aprisionamento progressivo da capacidade de discernimento do ser humano. Formam a matrix – esse simulacro de realidade – que formata e configura um mundo que interesses poderosos ligados a essa narrativa destrutiva nos impõem. Esses campos poderosos e associados de uma maneira maléfica, frutos do lado tenebroso da consciência humana de baixo nível, movida pelo medo e pelo combate à vida, trabalham cada vez mais pela robotização do ser humano.

Se essa tentativa de controle da humanidade por parte de grupos políticos, ideológicos, econômicos, culturais, tecnológicos sempre esteve presente na era moderna, agora está chegando às raias da loucura patológica que a move, com a ação insana de vários dos grandes sistemas de mídia social. A denúncia da gravidade da situação e o alerta para a humanidade estão presentes no assustador documentário “O Dilema das Redes”, ora em exibição no Netflix. Torna-o ainda extremamente valioso o fato de os denunciantes serem profissionais de alto calibre que estiveram dentro do monstro. Sabem muito bem o que estão dizendo.

Um fato particularmente marcante: um dos episódios da força avassaladora desse monstro sem controle que a humanidade criou, comentado no filme, é seu uso manipulador de consciências nas últimas eleições presidenciais no Brasil e nos Estados Unidos. Igualmente horripilantes os casos de seu uso desencadeador de genocídio em Myanmar.

Imperdível. Simples assim.

Para abrir ou ampliar a lâmpada vermelha de alerta na sua consciência. E ajudá-lo a saber que a hora é agora.  Nenhum ser humano pode escapar da sua responsabilidade intrínseca e do exercício do seu poder individual. A escolha que a existência está colocando nas mãos de cada um é muito clara. Temos uma só alternativa. Ninguém mais pode ficar em cima do muro.

Ou escolhemos a matrix e aceitamos nos diminuir para o nível de auto escravos que alimenta o seu poder, ou aceitamos o desafio de romper com o simulacro e buscar descobrir o que seres avançados da espécie estão apontando há muito tempo e hoje em dia especialmente através da ciência de vanguarda iluminada.  A evolução consciente abre as portas para conseguirmos acender, em nós próprios, a percepção da Matrix, essa com M maiúsculo, que parece ser a Realidade multidimensional, orgânica, viva, do universo integrado que habitamos e somos.


Related Articles

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado.